A sexta geração do BMW M5 já atingiu um nível inédito de desempenho com seus 600 cv e, de quebra, trouxe pela primeira vez o sistema de tração integral ao sedã nervosão. Mas a Manhart elevou ainda mais a capacidade dele, mexendo basicamente só na eletrônica do carro.

O MH5 700 (como a preparadora chama o seu M5 fuçado) tem um ECU diferenciada, capaz de extrair 723 cv e 88,7 kgfm de torque do motor 4.4 V8 biturbo. Ou seja, são 123 cv a mais que a versão de fábrica. A Manhart não traz muitos números de desempenho, diz apenas que o MH5 700 dispara dos 100 km/h aos 200 km/h em 5,9 segundos. Considerando esse dado (e o acréscimo de potência), é bem plausível pensar que ao menos dois décimos podem ter sido baixados dos 3,4 segundos que o M5 original acelera aos 100 km/h.

A preparação da Manhart também inclui um sistema de exaustão de aço inoxidável, com ponteiras de fibra de carbono opcionais, caso do interessado prefira. Outra mexida mecânica está presente na suspensão do tipo coilover da KW, que baixa a altura do sedã em 20 mm. Há um kit aerodinâmico de fibra de carbono pela carroceria, com novo spoiler e novo difusor e a empresa já prepara um capô feito do mesmo material. As rodas são de 21” de alumínio, côncavas, com cinco raios do modelo Concave One.