A Ford apresentou nesta semana a versão mais esportiva da Ranger. Batizada de Raptor, a versão apareceu lá na Tailândia e faz alusão à F-150 mais nervosa, que era vendida nos EUA. Apesar de chegar primeiro na Ásia, a Range Raptor pode chegar à terra do Tio Sam e tem jornalista aqui no Brasil já cravando que ela vem para o Brasil também, importada da Argentina.

A Ranger Raptor tem todo um visual trabalhado na esportividade off-road. A grade hexagonal preta traz o nome da Ford gigante no meio (o que serviu de inspiração para a versão Storm 4×4 do EcoSport nacional), o para-choque é significativamente mais robusto que o das versões regulares da picape, assim como os apliques de plástico nas caixas de rodas. A versão tem uma carroceria mais alta e pneus de uso misto, ou seja, é mais preparada pra enfrentar trilhas de terra mais hardcore.

O que decepcionou a galera foi o motor. Lá na Tailândia ela vai ser vendida com um 2.0 biturbo diesel de 213 cv e 51 kgfm de torque. Não condiz muito com o visual imponente que meteram nela. Agora, se ela for para os Estados Unidos, a revista Car and Driver aposta que a Ford vai equipar ela com um animador  motor turbo V6 de 339 cv e 52,4 kgfm de torque.

Para o Brasil, a solução mais provável é um meio termo entre a Tailândia e os EUA, infelizmente pendendo muito mais para o lado asiático. A Ford colocaria na Ranger Raptor o conhecido motor 3.2 turbodiesel dela por aqui, mas em vez dos cinco canecos produzirem 200 cv, seriam 220 cv sob o capô da picape. Não é uma diferença muito gritante, mas já deixaria a Raptor mais próxima dos 225 cv produzidos pela versão V6 da Volkswagen Amarok.

Só nos resta aguardar pra saber se a Ranger Raptor de fato vai vir pra cá…